Os principais conceitos do novo sistema de preços de transferência

Bruno Soares

Bruno Soares

Transfer Pricing

O Transfer Pricing é uma regra tributária criada na década de 90 pela OCDE, mas há relatos de que os controles de preços de transferência ocorrem desde a década de 30 nos Estados Unidos. A regra, tem o objetivo de evitar a perda de arrecadação por parte dos países envolvidos nas transações Intercompany (transações entre empresas do mesmo grupo econômico). Ao longo dos anos as formas de controlar esses preços foram se alterando em cada país e neste artigo nós iremos destrinchar os conceitos da proposta para o novo sistema de preços de transferência no Brasil.

Arm’s Length

Para que este objetivo, de evitar a perda de arrecadação dos países seja cumprido, é necessária a comparação destas transações Intercompany com transações entre terceiros, para verificar se a transação com a empresa vinculada está tendo um preço justo, ou seja, não pode levar vantagem sobre a operação efetuada com terceiros

Este conceito mencionado acima, pode ser definido como Arm’s Length Principle, o balizador das regras de preços de transferência da OCDE.

O Arm’s Length Principle, que na tradução literal é “Distância de um Braço”, significa dizer que a transação com pessoa vinculada não deve levar vantagem quando comparada a uma transação efetuada com terceiros

Transfer Pricing no Brasil

Embora os primeiros relatos de controles de preços de transferência tenham surgido na década de 30 nos Estados Unidos, e a OCDE tenha publicado seus Guidelines no início de década de 90, foi somente em 1996 que as regras de preços de transferência foram oficialmente publicadas no Brasil através da Lei 9.430/96.

Segue abaixo definição da Receita Federal sobre qual o significado do termo de “preço de transferência”:

“O termo “preço de transferência” tem sido utilizado para identificar os controles a que estão sujeitas as operações comerciais ou financeiras realizadas entre partes relacionadas, sediadas em diferentes jurisdições tributárias, ou quando uma das partes está sediada em paraíso fiscal. Em razão das circunstâncias peculiares existentes nas operações realizadas entre essas pessoas, o preço praticado nessas operações pode ser artificialmente estipulado e, consequentemente, divergir do preço de mercado negociado por empresas independentes, em condições análogas – preço com base no princípio arm’s length”

TP Brasil x TP OCDE

Antes de falar sobre as principais diferenças técnicas das regras de preços de transferência no Brasil quando comparadas as regras da OCDE, é importante mencionar que diferentemente das maiores economias do mundo, que seguem as diretrizes de preços de transferência da organização, o Brasil ainda não segue as diretrizes e possui regras próprias de preços de transferência.

Desta forma, podemos dizer que as principais diferenças consistem em dizer que as diretrizes da OCDE estabelecem que se deve realizar uma análise econômica baseada nos riscos, ativos e funções das transações realizadas. Já no Brasil, não temos análise econômica, apenas fórmulas fixas com o intuito de limitar o teto de dedutibilidade dos custos e de estabelecer os mínimos de receitas a serem reconhecidos.

No entanto, este cenário está prestes a mudar…

 

Os conceitos do novo Sistema de Preços de Transferência

 

Em 12 de abril de 2022 a Receita Federal e a OCDE anunciaram um “Novo sistema de preços de transferência do Brasil”. Este sistema traz uma proposta para convergência das regras de preços de transferência do Brasil para as regras de preços de transferência contidas nas diretrizes da OCDE.

A decisão de convergência destas regras ocorreu devido a intenção do Brasil de entrar na organização. Para que o Brasil faça parte da OCDE, é necessário que o país cumpra uma série de pré-requisitos definidos como instrumentos legais, que abrangem diversos temas econômicos, sociais e ambientais.

Especialmente este tema de Transfer Pricing é requisito obrigatório para que o país possa ser aceito pela organização.

Esta mudança é essencial para o Brasil, pois irá integrar o país nas cadeias globais de valor e trará mais confiança ao investidor estrangeiro, fazendo com que mais empresas venham para o país, contribuindo para a geração de empregos e maior desenvolvimento econômico.

Características do novo sistema de TP

 

Apresentaremos a seguir as principais características e os conceitos do novo sistema de preços de transferência que será encaminhado para o congresso.

conceitos do novo sistema de preços de transferência

A estrutura da legislação será dividida em quatro partes

  1. Parte geral
  2. Parte especial
  3. Medidas especiais e instrumentos para segurança jurídica
  4. Outras disposições

Parte Geral: com conteúdo principio lógico, alinhada ao princípio arm’s length e em conformidade com o padrão da OCDE. A parte geral contemplará:

  • Principio Arm’s Length
  • Transações controladas
  • Partes Vinculadas
  • Métodos Parte Testada Intervalo de Comparáveis
  • Análise de Comparabilidade
  • Métodos
  • Parte Testada
  • Intervalo de Comparáveis

Parte Especial: com dispositivos para tipos específicos de transações com base nos princípios gerais. Serão abordados os seguintes temas:

  • Intangíveis
  • Serviços Intragrupo
  • Acordo de Compartilhamento de Custos (CCA)
  • Reestruturação de Negócios
  • Operações Financeiras
  • Commodities

Medidas Especiais e Instrumentos para Segurança Jurídica:

  • Autorização para elaboração do Safe Harbour
  • APAs
  • MAPs

Outras Disposições:

  • Documentação
  • Contribuintes Não Transparentes
  • Outras disposições

O grande desafio é entender os conceitos do novo preços de transferência e alcançar o equilíbrio necessário entre um sistema baseado em princípios e dispositivos mais detalhados, considerando a tradição jurídica do país.

Fique atento aos próximos posts e não perca a sequência dos artigos sobre o Novo Sistema de Preços de Transferência no Brasil.

Silvio Petrini

Com mais de uma década de experiência na área de preços de transferência, tracei como objetivo criar uma comunidade para discussão, disseminação e desmistificação do tema de preços de transferência no Brasil. Através deste blog, trago com uma linguagem leve e didática, desde os principais conceitos, até assuntos mais complexos envolvendo o tema. Não deixe de se inscrever, curtir, comentar, sugerir e criticar. Vamos juntos criar a maior comunidade de TP no Brasil.

Você pode gostar também:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Notícias do Mercado

Marketing em tempos de crise

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Vídeos

Supply Talks#02

No Supply Talks#02, os hosts Alex Leite e Cássio Azevedo tiveram um bate-papo com a convidada Mônica Granzo, Founder e CEO da Smarkets.

LiveCast#62

No LiveCast#62, os hosts Henrique Gasperoni e Alex Leite tiveram um bate-papo com a convidada Mariel Orsi Gameiro, Conselheira no CARF e com o co-host Ronaldo Apelbaum, CEO e Sócio Fundador da APGI Advogados

Supply Talks#01

No Supply Talks#01, os hosts Alex Leite e Henrique Gasperoni tiveram um bate-papo com o convidado Eduardo Nishimoto, Head Comercial e BU Supply na Autopel, empresa focada em prover soluções para automação em suprimentos.

3 PRINCÍPIOS para desenvolver novas competências com Alex Leite

Discutido por pensadores e profissionais, a competência é a capacidade resultante de profundo conhecimento que alguém domina sobre certo assunto, gerando benefícios para uma pessoa ou organização. Mas você sabe como adquiri-la?

Pico-fim e a experiência do cliente com Rafael Scucuglia

A experiência do cliente, de forma resumida, pode ser definida como um conjunto de emoções vividas pelo consumidor nas interações com a empresa, produto, marca ou serviço, ao longo de sua jornada. Mas, como saber a relevância dessas interações na memória do cliente, quando precisam ser acessadas para tomar novas decisões?

Fique atualizado!

Assine nossa News e fique por dentro das principais matérias da Live University

Fique por dentro das principais tendências do mercado!

🚀 O evento começa em:

Dias
Horas
Minutos