Guia completo sobre a Gestão de Terceiros

Jade Santos

Jade Santos

O que é Gestão de Terceiros?

Gestão de Terceiros é o processo de controlar os riscos de fornecedores através da gestão eletrônica de documentos, com apoio de uma equipe profissionalizada. Através do fluxo da Gestão de Terceiros os fornecedores precisam disponibilizar informações sobre os terceiros e a contratante ou consultoria analisa os documentos para verificar se as exigências legais e contratuais foram realizadas.

É através da Gestão de Riscos de Terceiros que riscos como trabalho escravo, mortes, acidentes, falências de empresas e outros são mapeados de maneira preventiva. Afinal, nenhuma empresa gosta de ser pega de surpresa, e problemas como esses precisam e devem ser monitorados de maneira efetiva.

Porque realizar a Gestão de Terceiros?

Fornecedor é sinônimo de parceria, mas também de riscos. Realizar Gestão de Terceiros é importante por que cuidamos da vida e dos direitos dos funcionários. Nenhum funcionário deveria passar por situações como não receber horas extras, ficar 3 anos sem tirar férias, ficar 30 dias sem descanso, entre outros pontos. Mas com uma Gestão de Terceiros bem feita, conseguimos cobrar dos fornecedores que cumpram com as responsabilidades exigidas pela Legislação.

Na grande maioria das contratantes do Brasil sabemos que há um volume alto de valores desembolsados com processos trabalhistas. Reduzir o volume e os valores desembolsados é uma das missões deste serviço. Isso não quer dizer que vamos zerar os processos trabalhistas, mas com certeza as reduções de volume de processos e, principalmente, de valores desembolsados acontecem naturalmente quando o controle é realizado com as melhores práticas de mercado, como a Bernhoeft busca sempre somar para os seus clientes.

Um outro importante motivo é trabalhar com dados. Pois é essencial que toda contratante saiba quantos terceiros possui, quem foi admitido no mês, quem foi demitido no mês, quais os melhores e os piores fornecedores, etc. E com um processo adequado de Gestão de Terceiros, muitos dados serão levantados para que a contratante possa tomar as melhores decisões.

Quem ganha com a Gestão de Terceiros?

Este é um tipo de projeto que todos saem ganhando: Terceiro, Contratada e Contratante. Porém, o mais normal é que as Contratantes busquem mais ativamente este controle, visto que possuem o desafio de gerenciar os riscos de tantas empresas com cultura e práticas tão diferentes.

Quando a contratante sai na frente e busca melhorar seus processos e controles, ela vai colher os melhores resultados. Mas os fornecedores também ganham, pois passam a ter maior transparência das qualidades da empresa, também reduz riscos de processos trabalhistas e ganham uma boa consultoria de como atender a legislação da forma correta.

Como realizar uma efetiva Gestão de Terceiros?

Aliando tecnologia de ponta com uma equipe especializada, tem que ser um mix desses dois fatores. Um bom sistema é fundamental visto que o volume de dados costuma ser bem grande. Também precisamos falar da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) que é bem importante e só bem atendida quando tratamos o fluxo com sistemas seguros. E com profissionais que tenham experiência e estejam capacitados, a Gestão de Terceiros será bem aplicada, fornecedores estarão engajados, gestores de contrato farão o seu papel e a contratante colherá bons frutos.

Busque um portal online que possua relatórios de não conformidade, relatórios gerenciais com gráficos, análise automatizada com robôs, funcionalidades que facilitam a gestão e muita segurança.

Saiba como controlar de forma efetiva os riscos envolvidos da terceirização no seu negócio no eBook que preparamos sobre o tema:

Quando devo começar a fazer a Gestão de Terceiros?

Quando o seu fornecedor trouxer algum risco, ou seja, quase sempre. Tem fornecedor que não traz riscos ou tem risco muito baixo, está tudo bem não monitorar ele em algum módulo específico. Mas a maioria traz algum tipo de risco e precisa ser controlado periodicamente para que não hajam surpresas. Por exemplo, se é um fornecedor pontual, certamente ele não terá risco de processos trabalhistas e este risco poderia ser deixado de lado.

Importante reforçar que devemos fugir da burocracia. Cobrar tudo de todo mundo é burocracia que gera mais esforço e, consequentemente, maior custo para o controle. Recomendamos esse conteúdo.

Quem realiza a Gestão de Terceiros?

Bernhoeft é a primeira empresa no Brasil a realizar o serviço de Gestão de Terceiros, desde 2003. Quer conhecer mais sobre o trabalho da Bernhoeft, clique aqui!

 

Você pode gostar também:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Notícias do Mercado

Marketing em tempos de crise

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Vídeos

Supply Talks#02

No Supply Talks#02, os hosts Alex Leite e Cássio Azevedo tiveram um bate-papo com a convidada Mônica Granzo, Founder e CEO da Smarkets.

LiveCast#62

No LiveCast#62, os hosts Henrique Gasperoni e Alex Leite tiveram um bate-papo com a convidada Mariel Orsi Gameiro, Conselheira no CARF e com o co-host Ronaldo Apelbaum, CEO e Sócio Fundador da APGI Advogados

Supply Talks#01

No Supply Talks#01, os hosts Alex Leite e Henrique Gasperoni tiveram um bate-papo com o convidado Eduardo Nishimoto, Head Comercial e BU Supply na Autopel, empresa focada em prover soluções para automação em suprimentos.

3 PRINCÍPIOS para desenvolver novas competências com Alex Leite

Discutido por pensadores e profissionais, a competência é a capacidade resultante de profundo conhecimento que alguém domina sobre certo assunto, gerando benefícios para uma pessoa ou organização. Mas você sabe como adquiri-la?

Pico-fim e a experiência do cliente com Rafael Scucuglia

A experiência do cliente, de forma resumida, pode ser definida como um conjunto de emoções vividas pelo consumidor nas interações com a empresa, produto, marca ou serviço, ao longo de sua jornada. Mas, como saber a relevância dessas interações na memória do cliente, quando precisam ser acessadas para tomar novas decisões?

Fique atualizado!

Assine nossa News e fique por dentro das principais matérias da Live University

Fique por dentro das principais tendências do mercado!

🚀 O evento começa em:

Dias
Horas
Minutos