ilustração do artigo sobre a Jornada de Supply Chain

Destaques do primeiro dia da Jornada de Supply Chain

marcelo pepice

marcelo pepice

A segunda edição da Jornada de Supply Chain começou nesta segunda-feira, em um evento totalmente online e com inscrições gratuitas ao público, reunindo grandes executivos da área e promovendo debates acerca das principais inovações que ocorreram no Supply Chain no último ano. 

Com apresentações de cases de sucesso de empresas como Nestlé, Gomes da Costa, Suzano e do Grupo Boticário, muito conhecimento e insights incríveis foram compartilhados ao público, que pôde interagir com os palestrantes, fazendo perguntas ao final de suas explicações.

Dentre os assuntos de maior destaque desse primeiro dia de jornada, comentou-se a respeito de temas quentes da área de Supply, como a maior transparência em processos de compras e com fornecedores, os benefícios da implantação do change management, as estratégias de sourcing frente ao novo cenário econômico e a busca de novos fornecedores na pandemia.

Ainda teve tempo para descontração, com um quiz preparado pela Live para os inscritos, sobre as principais tendências de supply chain para 2021, além das metodologias da área e todas as siglas que fazem parte do dia a dia de quem trabalha com isso. Confira abaixo os destaques que separamos desse primeiro dia para aqueles que não puderam participar ou desejam relembrar sobre algum conteúdo:

Destaques da segunda-feira:

Transparência em processos de compras:

Divida em três trilhas simultâneas, logo pela manhã a Jornada contou com uma palestra do Otávio Nunes, Gerente Corporativo de Compras Estratégicas da Gomes da Costa, na sua palestra “Implementação e gestão de fornecedores de materiais diretos e indiretos em uma plataforma 100% online e integrada” explicou como a empresa desenvolveu um portal de fornecedores, implementando um sistema de avaliação mensal que considerava critérios de qualidade, entregas, custos e inovação.

Desde 2019, quando esse projeto teve início, foram feitas uma série de ações dentro da área de compras da Gomes da Costa, como a revisão de políticas de fornecedores, inclusão de profissionais de serviços e transportes, criação de um comitê de qualidade, avaliação por entrega e auditoria e critérios de sustentabilidade.

Essa otimização foi feita internamente, por meio de um projeto de reestruturação do procedimento de homologação dos fornecedores. A solução veio com a criação do Portal de Fornecedores, uma plataforma que conta com três etapas (homologação, performance e classificação) trouxe mais transparência na comunicação entre os elos da cadeia, da mesma forma que um melhor monitoramento e controle e diminuição de retrabalho. 

Na mesma hora, em outra trilha, o Senior Procurement Manager da Nestlé, Dinamérico Rangel, comentava sobre como a ferramenta E-Procurement ajudou a gigante do setor de alimentos e bebidas a ganhar mais transparência, confiança e eficiência na área de compras. 

Segundo as palavras do próprio Dinamérico, a implementação do projeto em 2019 foi bastante agressiva. “Efetivamente, implementamos a plataforma do mercado eletrônico para 100% das categorias de materiais indiretos, ou seja, todas as compras são feitas por lá. Colocamos campos específicos dentro do ME para cada categoria, facilitando as ações dos requisitantes e o consequente pedido de compra”. 

Ao falar sobre os benefícios da implementação do E-Procurement, Dinamérico complementa: “Além de conseguir reduzir custos e SLA, aumentamos a sinergia entre categorias de compras e o controle sobre o nosso tail spend”.

Change Management

Seguindo a Jornada, outro tema muito relevante do momento foi comentado na palestra do Carlos Fischer, Procurement General Manager do Grupo UOL/PAGSEGURO.

O Change Management, na avaliação de Carlos, ajudou ao grupo no comprometimento interno do time, junto com áreas parceiras, para adoção da de novas soluções estratégicas. 

O objetivo principal foi o de ajudar a construir uma área de compras que atenda todas as premissas de negócio da área. Esse envolvimento das diretorias foi essencial para acelerar um processo de mudança, participando do início, do meio e do fim de alguma ação de compra. 

“Quem negocia é compras, mas o alinhamento de estratégia precisa estar efetivo com a área de negócios.” Complementa Carlos. 

Tecnologia e cadeia de suprimentos

Ainda na parte da manhã, tivemos uma palestra do Rafael Vázquez, Regional Vice President, Customer Services & Value Management da Coupa Software. Durante sua palestra, Rafael listou as principais tendências de tecnologia na área de Supply Chain, explicando como a inteligência artificial da empresa ajudou na melhor gestão da cadeia de suprimentos.

Através da tecnologia intitulada “Gêmeo Digital”, Rafael explicou que o seu principal objetivo é garantir a visibilidade da cadeia de suprimentos aos executivos e tomadores de decisão. Esse conceito surgiu há mais de 10 anos, na indústria de manufatura, para processos de manutenção de equipamentos e máquinas de uso complexo. 

Fazendo um paralelo com a cadeia de suprimentos do setor de logística, os gêmeos digitais ajudam a minimizar disrupções não planejadas durante o processo, assim como a perda de receita. Além disso, o design contínuo e sustentado dos gêmeos digitais possibilitam uma melhor e mais rápida tomada de decisão por parte dos gestores. 

Esses algoritmos de otimização presentes na ferramenta conseguem prever certas tendências, reduzindo os riscos de problemas nas operações. Traduzindo em números, o impacto real dessa combinação entre tecnologia, estratégia, processos e pessoas, identificado por clientes da Coupa que fazem planejamento e design na cadeia de suprimentos, estimou uma economia média de custos em produção e transporte de 9%. 

Strategic Sourcing

As novas transformações econômicas e de consumo global também foram um dos pilares analisados na Jornada, mencionada em uma palestra bem interessante do Ricardo Sales, Regional Supply Chain da Samsonite.

Em uma apresentação sobre “As oportunidades criadas pelo novo cenário econômico do Pós Pandemia”, Ricardo falou sobre os caminhos adotados pela Samsonite para o strategic sourcing e o supply chain, buscando justamente mitigar os impactos causados pela crise sanitária da covid-19.

Por meio de gráficos cheios de dados, Ricardo citou os riscos de disrupção na cadeia de suprimentos, dando maior enfoque a guerra fiscal entre China e EUA, por serem países que representam uma grande capacidade de consumo interno. A partir disso, o pensamento da Samsonite foi rediscutir e reorganizar o seu planejamento de sourcing global. 

A partir dessa revisão e novo desenho de estrutura organizacional, Ricardo nos aponta como foi pensado uma estratégia para a rentabilidade e sustentação de crescimento em empresas globais de mercados emergentes, dentro da Samsonite. 

Dentre os principais pontos destacados, estão: criação de um banco de dados centralizado, cruzar as informações que se convertam em resultados para a empresa, decidir de forma precisa e com informações relevantes e compartilhar informações com parceiros buscando aumentar o nível de colaboração.

Busca de novos fornecedores na pandemia

Chegando ao final da Jornada, a Live realizou um painel de debate que abordou as melhores iniciativas que deram resultado na busca de novos fornecedores na pandemia.

Ministrada pelo Diretor Educacional da Live U, a mesa era composta por Luiz Gastão, VP Sales and Marketing do Mercado Eletrônico, Gustavo Taboas, Diretor Executivo de Compras, Suprimentos e Logística do Hospital Albert Einsten, e Rodrigo Bonato, Head Supply Chain da Videojet Technologies.

Comentando sobre os desafios dos pequenos e grandes fornecedores para se adequar às exigências do mercado, os executivos abordaram as suas estratégias, dentro do seu segmento específico, para enfrentar esse desafio. 

Dentre as iniciativas inovadoras, Gustavo disse que a reação para essa enorme crise deve vir com um planejamento bem feito. “O planejamento na área de supply é fundamental, principalmente diante de uma crise. Isso foi o que nos salvou durante essa pandemia. O mercado de saúde estava com bastante escassez de equipamentos e os nossos fornecedores correntes não tinham capacidade de atender a demanda momentânea. O mapeamento de novas empresas, encontradas por nossa rede de relacionamentos, foi primordial para atendermos nossas necessidades e nos prepararmos para pagamentos adiantados e enchermos nosso estoque.”

Você pode gostar também:

Acompanhe as tendências do mercado!

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por e-mail

Notícias do Mercado

Marketing em tempos de crise

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Vídeos

MBA Online

O virtual mais real que você já viu! O formato online da LiveU acontece ao vivo e durante as aulas é possível tirar suas dúvidas...

Prêmio Confeb 2019

Mulheres foram destaque no Prêmio Confeb 2019. Organizado pela LiveU, o evento reuniu grandes profissionais das áreas Fiscal...

Reforma Tributária

A Reforma Tributária é um dos assuntos mais em alta no país. E para falar sobre o futuro dos tributos no Brasil, Alex Leite...

Congresso LATAM

Já pensou em aplicar Inteligência Artificial nos seus negócios? Atenção, porque muita gente já começou!

Meios de pagamento

Saindo do clássico boleto, os novos Meios de Pagamento representam o jeito mais simples e tecnológico de pagamento...

Fique atualizado!

Assine nossa News e fique por dentro das principais matérias da Live University

Fique por dentro das principais tendências do mercado!