Customer Journey: como reter o cliente do primeiro contato até a venda final

Perder o cliente para a concorrência é o que provavelmente vai acontecer se você ficar esperando o lead, acidentalmente, cair no seu funil de vendas. Com tantos recursos, a briga pela atenção do consumidor é bastante acirrada. Por isso, qualquer contato é extremamente valioso, tanto em termos de branding quanto de vendas. E cada experiência deve ser única e impactante, desde a primeira impressão até a conversão final. Continue lendo este artigo e conheça a estratégia de Jornada do Cliente da Fini.

Com os meios digitais, hoje é possível estar em contato com seus consumidores o tempo todo. No decorrer da interação, criar ações e obter insights pode ser determinante para a marca. E a função da Jornada do Cliente é justamente identificar as necessidades e percepções do público, com objetivo de se aproximar, aumentar as vendas e gerar vantagem competitiva no mercado.

O primeiro passo é conhecer a fundo quem é o seu cliente – a ponto de saber mais sobre suas necessidades do que ele mesmo. E não importa se ele é B2C ou B2B, em ambos os casos é importante entender o que eles desejam, em que momento, o que esperam da sua marca, o que sentem, como são impactados e onde buscam informações. Nessa jornada, existem algumas etapas que orientam qual estratégia a empresa deve adotar para atrair, reter e guiar o consumidor até o pós venda.

Ao longo do relacionamento, toda ação deve ser personalizada no momento certo, com a intensidade devida e com a profundidade que se espera. Esse “approach” pode acontecer em multicanais e de diversas formas, seja por meio de conteúdo personalizado, uma impressão na rede social ou e-mail marketing, por exemplo.

A partir disso, é possível orientar um plano estratégico para não perder relevância para o seu cliente. Para aprofundar esse tema, convidamos Valmir Feil, Diretor de Vendas, que dividiu com a gente como a Fini conseguiu mapear a jornada do consumidor, acompanhe:

1        Quando a Fini se deu conta de que precisava mapear seus clientes?

Tudo começou ao passo que fomos testando canais. O produto foi ao atacado primeiro, depois, aos poucos, chegou aos distribuidores, gerando experimentação e principalmente disponibilidade. Com a sua chegada ao varejo, gerou muito mais degustação, a partir daí surgiu demandas por sabores, formatos e tamanhos de embalagem que fossem adequados ao paladar nacional e ao bolso do brasileiro. A Fini está sempre tentando ouvir o trade, pesquisar giro e, por ser multinacional, olhar o mercado mundial e tentar adaptar o melhor para cá.

2        O que precisou mudar tanto nos colaboradores da Fini quanto na própria marca para tornar o processo do Customer Journey efetivo?

Colaboradores tem tudo haver com a cultura inclusiva, empreendedora e inovadora, com ambientes leves e alegres para o trabalho, além de uma equipe que mescla jovens com profissionais experientes. E essa jornada afetiva tem se elevado a cada tempo, pois a Fini segue mais disponível, sempre ofertando novidades e gerando experiências saborosas, além de estar em eventos de relevância como relacionados a games, parques, festivais musicais, ou seja, as pessoas nos encontram em sua rotina, consomem e têm satisfação, a ponto de repetir.

3        Quando falamos em Jornada do Cliente, se aproximar dos consumidores e demonstrar paixão por eles, a finalidade de tudo isso é colocar o negócio em outro patamar ou melhorar o relacionamento com os clientes exclusivamente?

As duas coisas, pois estar perto e entendendo para atender faz com que a relação se mantenha forte, para poder absorver novidades e renovar consumidores, mas também é preciso que o negócio avance, gere escala, tenha capacidade financeira de investir, reformar portfólio e seguir se diferenciando.

4        Quais são as principais lições que os desafios e erros deixaram ao longo de todo processo?

Num país tropical, quente e de poder aquisitivo baixo, colocar um candy sensível, como gelatina ou marshmallow, foi um desafio e tanto. Foi preciso ter muita resiliência e capacidade de encontrar texturas e formas de fazer logística para seguir o projeto. Para isso, parcerias com distribuidores e uma equipe de desenvolvimento atenta fizeram a diferença. Fora a experiência de anos que a empresa já tinha da sua atuação na Europa.

5        Qual é a estratégia que você recomenda para tornar o relacionamento com o cliente mais duradouro?

18 anos atrás a Fini entrou no mercado ofertando balas de gelatina, já famosas na Europa e EUA, mas meras desconhecidas no Brasil, com valor agregado maior e uma forte entrega de sabor, maciez e degustação que estimulou o consumidor a uma percepção mais qualificada. Depois vieram os marshmallows, que além de degustação geraram decoração. No cenário antigo, com menos riscos com violência, consumia-se mais na rua, no bar, barraca… Locais que hoje são menos frequentados, assim, com os anos a loja de conveniência, o autosserviço, as lojas especializadas em festas e as lojas de departamentos se tornaram fortes caminhos para compra da família e posterior consumo em casa e no lazer. Novos caminhos para novos produtos, algo que Fini liderou na categoria. Então, tentar entender os hábitos do consumidor, pesquisar seus motivos de compra, estar nas plataformas de sua frequência com a marca é o que nos aproxima e nos faz estar sempre em contato com nossos consumidores.

Tá a fim de explorar melhor o case? Confira como a Fini mapeou a jornada de seus clientes no nosso Fórum Comercial que será dia 08, 09 e 10 de outubro, na Live University. A palestra será ministrada pelo entrevistado Valmir Feil. O evento está imperdível, participe com a gente!

 

Você pode gostar também:

2
Deixe seu comentário

avatar
Mais recentes Mais antigos Mais curtido
DanielGob
Visitante
DanielGob

I glanced through this site and there’s so much handy info, bookmarked 🙂

Live University - Ibramerc
Editor

Thank you, Stephen!

Fique atualizado!

Assine nossa News e fique por dentro das principais matérias da Live University

Notícias do Mercado

Marketing em tempos de crise

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Vídeos

MBA Online

O virtual mais real que você já viu! O formato online da LiveU acontece ao vivo e durante as aulas é possível tirar suas dúvidas...

Prêmio Confeb 2019

Mulheres foram destaque no Prêmio Confeb 2019. Organizado pela LiveU, o evento reuniu grandes profissionais das áreas Fiscal...

Reforma Tributária

A Reforma Tributária é um dos assuntos mais em alta no país. E para falar sobre o futuro dos tributos no Brasil, Alex Leite...

Congresso LATAM

Já pensou em aplicar Inteligência Artificial nos seus negócios? Atenção, porque muita gente já começou!

Meios de pagamento

Saindo do clássico boleto, os novos Meios de Pagamento representam o jeito mais simples e tecnológico de pagamento...

Fique atualizado!

Assine nossa News e fique por dentro das principais matérias da Live University

Fique por dentro das principais tendências do mercado!