Conheça o setor que movimenta 180 bilhões de dólares por ano

Viviane Burdinski

Viviane Burdinski

O setor de games movimentou quase U$180 bilhões no mundo durante o ano de 2020. Isso representa 60% mais que o volume das indústrias de cinema e música juntos. Um crescimento de 20% em plena crise causada pelo Covid. 

Falando do mercado brasileiro, os números também são impressionantes. De acordo com a Pesquisa Game Brasil, 72% da população do nosso país afirma jogar games eletrônicos. Quando se fala de jogos, qualquer pessoa é um público em potencial. Crianças ou adultos, não importa a profissão ou condição social.  

Diversas possibilidades de monetização 

 

Dentro desse mercado, existem diversas possibilidades de business. A mais óbvia é o desenvolvimento dos jogos. Existem muitas empresas especializadas nesse nicho no nosso país. 

Já uma possibilidade não tão óbvia, mas que movimentam milhões todos os anos, é o nicho dos criadores de conteúdos. Nessa categoria, se encaixam streamers, youtubers, tiktokers, etc. “Tem pessoas que produzem conteúdo que ganham salário de um jogador de futebol. Tem pessoas que chutam que o Alanzoka ganhe em torno de 200 mil reais só com o apoio de inscrição, sem contar com os patrocínios”, afirma Vinicius Amado, jornalista especializado em games.    

Além dos jogos, os games criam um universo específico para atender as demandas dos fãs. Assim como um fã de uma banda específica gostaria de comprar qualquer coisa com a marca do seu grupo preferido, os gamers também são consumidores vorazes. É possível encontrar uma infinidade de produtos explorando as marcas e personagens desse universo.

Não há dúvidas de que o mercado de games é extremamente lucrativo. Seja como desenvolvedor, influencer, ou até mesmo encontrando sub nichos, atrelando a sua profissão, com certeza vale muito a pena investir.

Clique aqui para assistir a palestra na íntegra!

 

Você pode gostar também:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Notícias do Mercado

Marketing em tempos de crise

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Home Office: como ser produtivo?

Todas as áreas das empresas precisam acompanhar e usufruir o que a tecnologia tem para oferecer. Esta é uma das premissas…

Fonte: Meio e Mensagem

Vídeos

Supply Talks#02

No Supply Talks#02, os hosts Alex Leite e Cássio Azevedo tiveram um bate-papo com a convidada Mônica Granzo, Founder e CEO da Smarkets.

LiveCast#62

No LiveCast#62, os hosts Henrique Gasperoni e Alex Leite tiveram um bate-papo com a convidada Mariel Orsi Gameiro, Conselheira no CARF e com o co-host Ronaldo Apelbaum, CEO e Sócio Fundador da APGI Advogados

Supply Talks#01

No Supply Talks#01, os hosts Alex Leite e Henrique Gasperoni tiveram um bate-papo com o convidado Eduardo Nishimoto, Head Comercial e BU Supply na Autopel, empresa focada em prover soluções para automação em suprimentos.

3 PRINCÍPIOS para desenvolver novas competências com Alex Leite

Discutido por pensadores e profissionais, a competência é a capacidade resultante de profundo conhecimento que alguém domina sobre certo assunto, gerando benefícios para uma pessoa ou organização. Mas você sabe como adquiri-la?

Pico-fim e a experiência do cliente com Rafael Scucuglia

A experiência do cliente, de forma resumida, pode ser definida como um conjunto de emoções vividas pelo consumidor nas interações com a empresa, produto, marca ou serviço, ao longo de sua jornada. Mas, como saber a relevância dessas interações na memória do cliente, quando precisam ser acessadas para tomar novas decisões?

Fique atualizado!

Assine nossa News e fique por dentro das principais matérias da Live University

Fique por dentro das principais tendências do mercado!

🚀 O evento começa em:

Dias
Horas
Minutos